quinta-feira, 12 de outubro de 2017

3ª dia da transformação

Era um riacho tranquilo. A água corria sem pressa. O sino dos ventos tocava sem parar. O sol brilhava. E à sombra da árvore estava pronta para a cainhada.
À passos lentos no riacho, a água que batia o pé reproduzia um som de calmaria. Tentei manter aquela calmaria junto à respiração. ada passo, mais água, mais paz. Inspira. Expira.
Inspira.
Expira.
Um passo. Água. Outro passo. Mais água.
Paz.
Alívio.
Busca.
Mas que busca? A caminhada tranquila estava me levando em algum lugar.
Mas onde? Por quê?
Urgência. Inspira. Expira.
Mais passos. Mais água.
Fecho os olhos.
Sinto que algo dentro de mim precisa sair. A primeira pessoa que me vem à cabeça: você. Mas com a rapidez que sua imagem surgiu, ela desapareceu. Outra pessoa tomou o seu lugar.
Uma garota. Que batia à "porta" sem parar. Não gritava por socorro. Mas nem precisava.
Lá estava eu, fazendo o possível para que eu me encontrasse e me fizesse sair de lá.

E ao final da meditação, lágrimas escorriam dos meus olhos. O que tanto busquei estava dentro de mim mesma, desesperada para ser encontrada. Um alívio enorme tomou conta de mim. Uma esperança perdida foi revivida.
Ainda não sei aonde me encontrar, mas o caminho a ser percorrido eu já sei como trilhar!

terça-feira, 10 de outubro de 2017

2ª mensagem não enviada

"Você parou de acreditar no que eu sinto por você?"